Pular para o conteúdo

Os 5 pontos essenciais do desenvolvimento pessoal

13 de setembro de 2019

O processo de desenvolvimento pessoal exige vontade, dedicação, paciência e persistência, mas acredite: ele vale muito a pena! Conheça os pontos essenciais desse percurso.




Se você quer desenvolver as suas qualidades, lidar melhor com os seus defeitos, transformar comportamentos prejudiciais, melhorar a sua qualidade de vida, sentir-se melhor consigo mesmo(a) e tornar-se uma pessoa melhor de forma geral, então já está dado o primeiro passo rumo ao seu desenvolvimento pessoal. A vontade de melhorar é essencial para começar esse processo.

Conheça os cinco pontos essenciais dessa importante jornada e saiba como dar os próximos passos na caminhada contínua do desenvolvimento pessoal.

1. Autoconhecimento

O desenvolvimento pessoal começa pela autodescoberta. Só com autoconhecimento você poderá analisar de forma profunda as suas qualidades e defeitos e entender o que é preciso melhorar, além de compreender melhor os seus valores, crenças e comportamentos – e, em seguida, esforçar-se para mudar aqueles que são prejudiciais de alguma forma.

O desenvolvimento pessoal envolve o indivíduo como um todo: as suas emoções, a sua cognição, os seus pensamentos e comportamentos. Portanto, é preciso levar todos esses aspectos em consideração e tentar compreendê-los de forma conjunta, para estabelecer metas, elaborar planejamentos e iniciar práticas benéficas.

Mas como investir no autoconhecimento? Veja algumas dicas:

  • Pratique meditação.
  • Procure um psicólogo.
  • Pergunte-se o porquê de sentimentos, comportamentos, julgamentos e até mesmo crenças que você possui.
  • Compreenda os seus desejos e objetivos: eles vêm mesmo do seu interior ou da interiorização do que os outros consideram melhor para você?
  • Questione-se: quais são as suas principais qualidades? Como você pode potencializá-las? Quais são os seus principais defeitos? Em quais deles você sente que precisa trabalhar?
  • Use ferramentas que facilitem esse processo, como um diário, mapas mentais ou um aplicativo de celular.
  • Ofereça-se compaixão: todos nós temos defeitos, não seja tão duro com os seus.

2. Empatia

Assim como é preciso ter compaixão e paciência consigo mesmo(a), tente se colocar sempre no lugar dos outros antes de julgá-los, ofendê-los ou tomar alguma decisão que possa prejudicá-los. Pratique o diálogo, escute as outras pessoas, evite conclusões precipitadas e esteja aberto(a) a outros pontos de vista.

Isso tudo é difícil, nós sabemos! Por isso, respire fundo e lembre-se de ter a empatia como prioridade em todas as suas interações: a prática faz o hábito.

3. Prática

Segundo o best-seller “O Poder do Hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios” (2012), do jornalista Charles Duhigg, somos guiados pela rotina e pelo hábito. Tudo o que fazemos de forma repetitiva e previsível acaba por se tornar um hábito: e, aí, é bem difícil escapar dele.

Se você quer efetuar mudanças em sua vida, é preciso estimular o seu cérebro a tomar uma atitude diferente daquela com a qual ele está acostumado, esforçar-se para que o novo comportamento seja sempre repetido e, por fim, recompensar-se por essa mudança. Sim, é preciso um grande esforço para mudar e para manter a mudança, especialmente no início do processo, porém, lembre-se: em determinado momento, ela se transformará na sua nova rotina e se tornará um hábito. 

4. Inteligência emocional

Use o processo de autodescoberta em prol de comportamentos mais saudáveis. Ao compreender melhor as suas emoções, especialmente as negativas, você poderá aprender a geri-las e a controlar reações automáticas. Ao entender o que desencadeia sentimentos desconfortáveis e comportamentos que você deseja evitar, é possível preparar-se para lidar de forma mais racional e consciente com esses gatilhos. Isso é inteligência emocional.

Veja algumas dicas básicas:

  • Analise reações e sentimentos negativos, como explosões de raiva, momentos de tristeza e irritação. Não negue as suas emoções e sim tente compreendê-las.
  • Anote em um caderno pensamentos negativos e analise-os de forma racional.
  • Planeje: de que forma você pode se preparar para lidar melhor com os seus sentimentos, reações e pensamentos negativos?

5. Aprendizado com os outros

O seu aprendizado com outras pessoas pode passar tanto pela palestra de uma monja budista quanto por uma conversa com a sua avó – que certamente tem opiniões bastante diferentes das suas em relação a um monte de coisas, mas, por outro lado, guarda sabedorias que podem ser importantes para o seu desenvolvimento pessoal.

Aprender com os outros, em especial com aqueles que têm mais experiência do que você, é sempre uma boa contribuição para o seu desenvolvimento pessoal. E é possível fazer isso também através da leitura. Portanto, confira cinco livros incríveis para ajudar na sua jornada:

  • “Inteligência Emocional” (1995) – Daniel Goleman;
  • “A Arte da Felicidade” (1998) – Dalai Lama e Howard C. Cutler;
  • “A Coragem de Ser Imperfeito” (2012) – Brené Brown;
  • “O poder do Agora” (1997) – Eckhart Tolle;
  • “O Mundo que Habita em Nós” (2019) – Liliane Prata.

Fonte: Universia

Comentários

Comentários